Seis livros de poesia para encantar crianças de idades diferentes

Que tal colocar as crianças em contato com livros de poesia de qualidade, divertidos, leves e cheios de belas ilustrações? Aí vão seis dicas para preencher a estante (e o coração) delas:

1. Ponto de Tecer Poesia

Não há sensação melhor do que entrar numa livraria e encontrar livros como esse: antigos, de autores sensacionais (como a lúdica Sylvia Orthof – que também escrevia para a Recreio), mas reeditados, com ilustrações atualizadas e cheirinho de novo.

É quase uma volta ao passado. Em Ponto de Tecer Poesia, Sylvia brinca com linhas, lã, tecido, agulhas… E costura tudo isso com palavras fofinhas.

Uma poesia de malha,
feita de lã de ovelha,
faz o que
lhe dá
na telha!

A escritora era apaixonada por costura, bordado e ponto cruz e viveu até 1997 juntando essas “tarefas da vovó” com a sua outra paixão: escrever para crianças.

O livro é tão gostoso que dá vontade de não só ler os poemas, como também usá-los, como se fossem um belo par de meias quentinhas. Vem, inverno!

ponto-de-tecer-poesia-capaPonto de Tecer Poesia
Indicado para crianças com idade a partir de 6 anos
Autora: Sylvia Orthof
Ilustradora: Tatiana Paiva (que aprendeu a bordar seu nome com a ajuda da avó)
Editora: FTD
Páginas: 40

2. Estrelas São Pipocas e Outras Descobertas

Antes que se encantem pelo Sol, pelo Mar, pela Lua de Pablo Neruda, crianças podem se encantar com o Sol, o Mar e a Lua de Goimar Dantas. São versos mais inocentes do que os clássicos de Neruda, e por isso mesmo, mais divertidos – dando sustentação para o desenvolvimento do universo imaginário dos pequenos.

Com explicações que vão em sentido contrário das científicas (elas seguem um rumo mais criativo), a neve torna-se um algodão geladinho, a Lua é a lamparina que o Sol apaga mais tarde, e o Sol é um quindim que está assando há milhões de anos. Ah, e as estrelas são pipocas que caem no chão do céu. É muito amor!

capa-estrelas-sao-pipocas-llivroEstrelas São Pipocas e Outras Descobertas
Indicado para crianças com idade a partir de 6 anos
Autora: Goimar Dantas
Ilustradora: Ana Maria Moura
Editora: Cortez
Páginas: 27

3. Passariques do meu Quintal

Nomes de pássaros são divertidos, principalmente para quem é curioso o suficiente para querer conhecê-los – como crianças são naturalmente. O fura-buxo, o papa-açúcar e o olho-de-fogo são aves reais. Mas o cardeflon-de-cartola, o estrunfo-exuberante e o merclis-do-pé-torto são os passariques que vivem no quintal do menino. Ele só queria ir lá fora observá-los, mas precisa estudar matemática.

Pera, não era poesia? Parece mais livro de conto! Na verdade, o livro é de limeriques – poemas curtos e meio nonsense que têm uma métrica definida: são cinco versos. Os dois primeiros rimam com o último, e a terceira e a quarta linhas rimam entre si.

Nas últimas páginas há quatro limeriques (que não têm a ver com passariques, mas também são deliciosos) escritos por Tatiana Belinky, que morreu no ano passado aos 94 anos, depois de uma longa e brilhante carreira no universo da literatura infantil.

Uma dica para aproveitar ao máximo o livro: se você sentir que os limeriques cativaram a criança, peça a ela para escrever alguns, também. É um ótimo exercício para a criatividade. E nem precisa ser sobre passariques. Dá para escrever sobre peixeriques, monstroriques, dinossauriques… 😉

passariques-do-meu-quintal-livro-capa-globinho
Passariques do meu Quintal
Indicado para crianças com idade a partir de 7 anos
Autora: Blandina Franco (participação especial de Tatiana Belinky)
Ilustrador: José Carlos Lollo
Editora: Globinho
Páginas: 40

4. Corre, Caio!

Livros com nomes de pessoas são extremamente cativantes… Para quem tem a sorte de ter um livro com o seu nome. Mas Corre, Caio! também cativa qualquer leitor (principalmente os que estão aprendendo a ler agora) por brincar muito com a letra C.

Nos versinhos criados pela carioca Graça Lima, Caio sonha com o cavalo corcel, castelos e cavaleiros, e quando acorda, corre para curtir com a criançada. Opa, fui contagiada!

corre-caio-livro-capaCorre, Caio!
Indicado para crianças com idade a partir de 4 anos
Autora e ilustradora: Graça Lima
Editora: Global
Páginas: 24

5. Lua e Sol

Ilustrado com fotos de esculturas em massinhas, Lua e Sol tem um jeitinho docemente vintage, da época em que a gente era criança e muitos livros eram ilustrados com fotos coloridíssimas de objetos inanimados.

Os poemas falam sobre a importância da estrela e do satélite para a Terra e para os que vivem nela. Os dois ainda disputam para saber qual é o mais VIP de todos. Gostoso, fácil de ler, e ótimo para aprender: afinal, os versos são do professor Nílson José Machado, especialista em educação.

Lua-e-Sol_capa-livroLua e Sol
Autor: Nilson José Machado
Ilustrador: Salmo Dansa
Fotos: Ricardo Pimentel
Editora: Escrituras
Páginas: 44

6. Bolinho de Chuva e Outras Miudezas

Os versos desse livro são todos singelos, como uma infância que se passa em cidade do interior.

São 41 poemas inspirados na lembrança que o autor, Paulo Netho, tem de uma época em que, nos dias de chuva, todas as famílias ficavam dentro de casa, na maior preguiça, se empanturrando dos bolinhos fritos e cobertos de açúcar que qualquer avó-cozinheira-de-mão-cheia sabe fazer.

Também tem histórias de bolas que vão parar na casa do vizinho, de colheres que viram aviõezinhos, de meninas vermelhas e azuis, de domingos chuvosos e outros ensolarados. Separe para ler com as crianças nos dias de chuva. 🙂
Capa_Bolinho-de-chuva Bolinho de Chuva e Outras Miudezas
Indicado para crianças com idade a partir de 7 anos
Autor: Paulo Netho
Ilustrador: Carla Irusta
Editora: Peirópolis
Páginas: 80

Série “Como Treinar seu Dragão” tem 2º filme e chega a 11º livro no Brasil

Já entrando no clima das férias de julho, acaba de estrear nos cinemas brasileiros a animação “Como Treinar seu Dragão 2”, continuação do sucesso de 2010.

Junto com o burburinho da estreia, a editora Intrínseca (que detém, no Brasil, os direitos de publicação dos livros que inspiraram os filmes) acaba de lançar a 11ª edição da série escrita pela britânica Cressida Cowell. A editora de livros infantis inglesa Hachette (que publica na gringa) garante que este é o penúltimo livro da série.

Como Trair o Herói de um Dragão segue a mesma narrativa rápida, atropelada e divertida dos 10 anteriores: o protagonista, o garoto viking desajeitado Soluço Spantosicus Strondus II, precisa recuperar dez coisas perdidas para se tornar o Rei do Oeste Mais Selvagem. Só que ele é mordido por um dragão, cai nas garras de uma bruxa e ainda suspeita de que um de seus amigos o está traindo.

Ótima leitura para crianças. Os assuntos são leves, divertidos, e fazem parte do imaginário comum da fase: luta do bem contra o mal, conflitos entre pais e filhos, amizades da escola, e é claro, dragões. De várias espécies.

como-trair-o-heroi-de-um-dragao2

A série toda tem boas sacadinhas, que vou enumerar:

  1. As ilustrações são da própria autora. Como ela é melhor em escrever do que desenhar, as páginas são rabiscadas com vários garranchos, como se um irmão mais novo tivesse ‘pichado’ todos os livros com lápis preto. Isso dá um ar grotesco, bárbaro, às páginas. E faz todo o sentido com as histórias.
  2. A narração é em primeira pessoa, mas de um jeito maluco: os livros começam com uma nota explicando que a história foi encontrada em algum lugar de uma ilha nórdica remota, e que ela foi escrita pelo personagem principal, Soluço, quando ele já estava velho e queria registrar suas memórias de infância. A brincadeira é levada tão a sério que, nas capas, a história é creditada a Soluço, enquanto Cressida é apenas a tradutora.
  3. Assim como acontece com outras séries literárias infantis, Como Treinar seu Dragão está amadurecendo. De umas edições pra cá, algumas páginas são completamente pretas. Elas normalmente contam histórias mais obscuras, quase de terror, cheias de emoções (que a criançada adora).

como-trair-o-heroi-de-um-dragao1

Só para desencargo de consciência: na verdade, há 12 livros da série. Um deles foi “escrito” pelo dragão de estimação de Soluço, o Banguela. Por isso, ele conta como um extra, assim como Os Contos de Beedle, o Bardo (J.K. Rowling), que tem a ver com Harry Potter, mas não conta como publicação da série. Ah, e o nome do livro do Banguela é Como Treinar o seu Viking. Eu li e achei ótimo. Um dos mais engraçados.
como-trair-o-heroi-de-um-dragao-banguela

como-trair-o-heroi-de-um-dragao-capa

Como Trair o Herói de um Dragão
Indicado para crianças com idade a partir de 9 anos
Texto e ilustrações: Cressida Cowell
Tradução: Raquel Zampil
Editora: Intrínseca
Páginas: 405

Compre o livro “Como Trair o Herói de um Dragão” na Livraria Cultura