“Felicidade tem Cor” mostra que viver o momento é melhor do que viver o tédio

Tenho vários amigos que acham que, na época em que a televisão só transmitia imagens em preto e branco, o mundo era assim também: todo trabalhado nos 50 tons de cinza.

E é esse o mote do livro Felicidade tem Cor, de Fred Di Giacomo e Karin Hueck (não, nada a ver com a história mal escrita de EL James que não convém mencionar num blog sobre literatura infantil, desculpe): um dia, Benjamin acorda enxergando o mundo em preto e branco.

Foi aí que ele descobriu o significado da palavra tédio. Mas foi a partir daí, também, que ele entrou no mundo de Alice, uma amiga que tem lápis de cor nos olhos. E começou a perceber que a parte mais interessante da vida é prestar atenção nas coisinhas pequenas do dia-a-dia. E que, quando a gente começa a se ligar no momento, em viver o que está acontecendo à nossa volta, o tédio some e nunca mais aparece. É… Pode testar aí. Garantido que funciona.

Fred e Karin são amigos meus, também jornalistas, e eles acabaram de fazer o Benjamin. Os dois se empenharam em estudar todas as formas de se alcançar e de viver a felicidade, e você pode acompanhar essa lindeza de trabalho aqui, no Glück. E aí, a vinda do Benja era só o pontinho que faltava para eles falarem sobre felicidade para crianças. Fazendo a dona clichê, não-é-porque-são-meus-amigos-mas: ficou uma belezinha de história.

Benjamin passa a entender que as cores não estão só em quem tem olhos de lápis de cor: também estão no cheiro das coisas (obrigada, agora sei que aquela arvorezinha na frente do Coqueiros 2 é um manacá-de-cheiro, e eu pensava que fosse uma dama da noite!), nos sabores de sorvete… E Alice vai além: mostra que atitudes prazerosas do cotidiano, que têm tudo a ver com ajudar pessoas, podem encher a nossa vida de cor.

E só para deixar esse livro fofo ainda mais completo de fofuras, as ilustrações de Mariana Salimena são PERFEITAS para colorir. E, no fim, sem parecer piegas e nem dar lição de moral, a história deixa um questionamento para o leitor: que coisas deixam a sua vida mais colorida? Manacá-de-cheiro, no meu caso, é uma delas.

12842655_10153728439002740_2101443317_o

Felicidade tem Cor
Indicado para crianças a partir de 6 anos
Autores: Fred Di Giacomo e Karin Hueck
Ilustradora: Mariana Salimena
Editora: Matrix
Páginas: 32

Anúncios

Um comentário sobre ““Felicidade tem Cor” mostra que viver o momento é melhor do que viver o tédio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s